Projecto do PCP na defesa do Hospital do Fundão chumbado com votos contra do PSD, CDS e abstenção do PS

Imprimir
Criado em terça, 07 abril 2015, 15:15

Hospital fundo O PCP, conforme anunciado anteriormente, apresentou o projecto  de resolução na Assembleia da República, na defesa da    manutenção Hospital do Fundão sob a gestão pública, tendo sido  votado no passado dia 27 de Março.

 O PCP lamenta o facto dos projectos discutidos terem  sido chumbados e do projecto de resolução do PCP ter  sido rejeitado com os votos contra do PSD e CDS e a  abstenção do PS.

 O caminho que tem sido seguido pelo Governo PSD/CDS é  o de desmantelamento dos serviços públicos, entrega aos  privados e transformação de direitos em negócios. O PCP  condena este chumbo pela maioria e não deixa de  lamentar a abstenção do PS neste projecto de resolução  que defendia a manutenção da gestão pública do Hospital  do Fundão.

 O projecto de resolução que o PCP apresentou, foi construído após um levantamento de preocupações, considerações, opiniões várias recolhidas quer no conjunto de encontros, reuniões e acompanhamento que o PCP e o seu Grupo Parlamentar teve ao longo deste período, mas também pela votação unânime na Assembleia Municipal do Fundão contra esta passagem e pelo alargado debate realizado no fundão, promovido pela USCB e onde o GP do PCP participou, que contou com participação de vários agentes, onde autarcas, centro hospitalar, populações, trabalhadores e seus representantes se manifestaram com profundas preocupações e manifestações de desacordo perante a proposta da passagem da gestão do Hospital do Fundão para a misericórdia, ou seja a sua privatização.

O projecto apresentado tinha como parte resolutiva as seguintes questões:

1. Manter a gestão do Hospital do Fundão na esfera pública, revogando o acordo estabelecido com a União das Misericórdias Portuguesas;

2. Reforçar os serviços e valências do Hospital do Fundão, nomeadamente com a criação de uma unidade de cuidados continuados, o reforço da área de ambulatório, a disponibilização de mais especialidades nas consultas externas, o reforço dos meios complementares de diagnóstico e terapêutica, o reforço da medicina física e de reabilitação e a criação do serviço de medicina nuclear;

3. Reabrir o Serviço de Urgência no Hospital do Fundão;

4. Dotar o Hospital do Fundão dos profissionais de saúde necessários e proceda à integração de todos em contratos de trabalho em funções públicas por tempo indeterminado pondo fim às desigualdades que hoje existem entre trabalhadores com contratos de trabalho em funções públicas e trabalhadores com contratos individuais de trabalho.

O PCP rejeita este caminho e tudo continuará a fazer para a denúncia deste caminho e apela às populações, aos profissionais que continuem a luta contra esta linha privatizadora, na defesa da gestão pública do Hospital do Fundão

2019 Organização Regional de Castelo Branco do PCP | www.pcp.pt | Joomla Templates Free.