POPULAÇÃO DE IDANHA-A-NOVA MOBILIZADA EM DEFESA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS

Imprimir
Criado em quarta, 04 dezembro 2013, 00:00
POPULAÇÃO MOBILIZADA EM DEFESA DOS SERVIÇOS PÚBLICOS
A Comissão Concelhia de Idanha-a-Nova do Partido Comunista Português saúda a luta da população deste concelho na defesa dos serviços públicos, patente na grande concentração do dia 3 de Dezembro, contra o encerramento noturno do Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde local.
A par com os processos de empobrecimento e retrocesso social, através das políticas de direita dos sucessivos governos, sobretudo do governo PSD – CDS, o encerramento de serviços públicos por todo o país, especialmente nas regiões social e demograficamente mais débeis do interior, são um atentado à coesão nacional, uma violência contra as populações e um atropelo aos direitos democráticos e constitucionais.
O concelho de Idanha-a-Nova viu, nos últimos anos, encerrarem escolas, estações de correios, serviços públicos de agricultura, postos da GNR e muitos mais serviços que asseguravam alguma tranquilidade e qualidade de vida a uma população em declínio e com uma elevada taxa de envelhecimento. Essa ofensiva das políticas de direita, em que o centralismo e o favorecimento dos grandes grupos económicos andam a par com a penalização dos cidadãos e da coesão territorial, teve agora novos e graves episódios com o encerramento do SAP, no período da noite (aumentando o risco de vida dos habitantes das povoações mais raianas do concelho), e o anunciado fecho da repartição de Finanças da vila de Idanha-a-Nova.
O PCP e os eleitos da CDU nos órgãos autárquicos do concelho, sempre manifestaram a sua total oposição a estas medidas e, ainda que muitas vezes se tenham deparado com a passividade ou conivência de outras forças políticas, congratulam-se com a disponibilidade manifestada pela população local na contestação a tais medidas. A concentração desta terça-feira e o abaixo-assinado contra o encerramento das Finanças (que contou com mais de duas mil assinaturas) confirmam a disposição da população para continuar a lutar pela sobrevivência do concelho de Idanha-a-Nova e na defesa dos ideais de Abril, traduzindo também a pertinência e dedicação aos interesses locais da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do concelho de Idanha-a-Nova.
O PCP, tal como até aqui, manterá a sua participação ativa na defesa das populações, persistindo igualmente no combate às políticas lesivas do povo português nas instituições e órgãos em que tem representação, mas também em todas as situações em que a dinâmica popular seja um instrumento de defesa dos direitos de cidadania.
Idanha-a-Nova, 3 de Dezembro de 2013
A Comissão Concelhia de Idanha-a-Nova do PCP

idanha sns

A Comissão Concelhia de Idanha-a-Nova do Partido Comunista Português saúda a luta da população deste concelho na defesa dos serviços públicos, patente na grande concentração do dia 3 de Dezembro, contra o encerramento noturno do Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde local.

A par com os processos de empobrecimento e retrocesso social, através das políticas de direita dos sucessivos governos, sobretudo do governo PSD – CDS, o encerramento de serviços públicos por todo o país, especialmente nas regiões social e demograficamente mais débeis do interior, são um atentado à coesão nacional, uma violência contra as populações e um atropelo aos direitos democráticos e constitucionais.

O concelho de Idanha-a-Nova viu, nos últimos anos, encerrarem escolas, estações de correios, serviços públicos de agricultura, postos da GNR e muitos mais serviços que asseguravam alguma tranquilidade e qualidade de vida a uma população em declínio e com uma elevada taxa de envelhecimento. Essa ofensiva das políticas de direita, em que o centralismo e o favorecimento dos grandes grupos económicos andam a par com a penalização dos cidadãos e da coesão territorial, teve agora novos e graves episódios com o encerramento do SAP, no período da noite (aumentando o risco de vida dos habitantes das povoações mais raianas do concelho), e o anunciado fecho da repartição de Finanças da vila de Idanha-a-Nova.

O PCP e os eleitos da CDU nos órgãos autárquicos do concelho, sempre manifestaram a sua total oposição a estas medidas e, ainda que muitas vezes se tenham deparado com a passividade ou conivência de outras forças políticas, congratulam-se com a disponibilidade manifestada pela população local na contestação a tais medidas. A concentração desta terça-feira e o abaixo-assinado contra o encerramento das Finanças (que contou com mais de duas mil assinaturas) confirmam a disposição da população para continuar a lutar pela sobrevivência do concelho de Idanha-a-Nova e na defesa dos ideais de Abril, traduzindo também a pertinência e dedicação aos interesses locais da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do concelho de Idanha-a-Nova.

O PCP, tal como até aqui, manterá a sua participação ativa na defesa das populações, persistindo igualmente no combate às políticas lesivas do povo português nas instituições e órgãos em que tem representação, mas também em todas as situações em que a dinâmica popular seja um instrumento de defesa dos direitos de cidadania.

Idanha-a-Nova, 3 de Dezembro de 2013

A Comissão Concelhia de Idanha-a-Nova do PCP

2018 Organização Regional de Castelo Branco do PCP | www.pcp.pt | Joomla Templates Free.