Comunicado DORCB 14.10.2017

Imprimir
Criado em terça, 17 outubro 2017, 11:28

A Direcção da Organização Regional de Castelo Branco (DORCB) do PCP, reunida a 14 de Outubro de 2017 na Covilhã, procedeu à análise das eleições autárquicas de 1 de Outubro, analisou a situação no Distrito e discutiu e decidiu linhas de trabalho no plano da intervenção do Partido no Distrito.

Prosseguir o trabalho ao serviço das populações e do desenvolvimento dos territórios.

O resultado das eleições autárquicas do passado dia 1 Outubro confirma a CDU como a grande força de esquerda no Poder Local.

As importantes posições nas autarquias em que assume a presidência – 24 municípios e 139 freguesias, mais de 180 se consideradas as freguesias existentes antes da agregação –, a significativa presença da CDU no conjunto dos órgãos autárquicos – 171 vereadores, 619 eleitos em assembleias municipais e 1665 em assembleias de freguesia –, não obstante recuos verificados, são a garantia de que o reconhecido trabalho, honestidade e competência marcará presença em todo o País e que prosseguirá a sua acção todos os dias, dando voz às populações, contribuindo para dar solução aos problemas, combatendo o que prejudique os direitos e o interesse colectivo.

No Distrito de Castelo Branco a CDU obteve 6488 votos, 6,10% para as Assembleias Municipais obtendo 31 mandatos em 6 dos 11 concelhos (Oleiros, Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Fundão, Covilhã e Belmonte) - 24 mandatos nas Assembleias de Freguesia e 7 mandatos em Assembleias Municipais representando uma importante expressão da CDU no Distrito, permitindo desta forma a continuidade da importante intervenção na defesa das populações, das freguesias e dos concelhos.

A DORCB do PCP valoriza o resultado da CDU na Boidobra, reforçando em votos e percentagem, mantendo a presidência desta importante Junta de Freguesia, assim como o reforço da CDU e a eleição em freguesias onde não tínhamos presença, ou reforçando a mesma, como são os casos de: Maçainhas e Inguias em Belmonte, Zebreira, Idanha e Monsanto em Idanha-a-Nova, Peso e Vales do Rio na Covilhã e Cebolais/Retaxo em Castelo Branco.

A diminuição de número votos, de 3 eleitos em Assembleias de Freguesia, 1 eleito em Assembleias municipais e a perda do vereador na Covilhã, representa um aspecto negativo que não deixamos de apreciar, num quadro marcado pelo silenciamento, hostilização, linhas anti-comunistas, dispersão de candidaturas, a desproporcional projecção de algumas candidaturas assim como de meios e utilização dos cargos públicos. A DORCB do PCP reafirma que estes resultados não colocam em causa o trabalho, empenho e intervenção da CDU e dos seus eleitos em defesa dos interesses e aspirações das populações em cada um dos concelhos.

A DORCB do PCP saúda todos os candidatos e activistas da CDU, membros do PCP, do PEV e os muitos independentes que ao longo dos últimos meses, com o seu empenho e dedicação, contribuíram para uma campanha de muito contacto, presença, auscultação, afirmação e projecção do projecto autárquico da CDU e o seu carácter distintivo.

A DORCB do PCP saúda ainda os milhares que confiaram na CDU, através do seu voto, alguns pela primeira vez, afirmando-lhes que o resultado destas eleições, quer no plano distrital, quer nacional não reduz a determinação do PCP de continuar a intervir para responder aos interesses e aspirações dos trabalhadores e do povo. O resultado destas eleições, não contribuindo para dar mais força à defesa, reposição e conquista de direitos, não reduz a influência real do PCP, o reconhecimento que milhares e milhares de pessoas fazem da sua acção decisiva na nova fase da vida política nacional, nem o papel que continuará a assumir, para com a dinamização da luta, construir o caminho que garanta o desenvolvimento económico e social das freguesias, dos concelhos, da Região e do País.

Continuando a desenvolver-se pelo conjunto das organizações no Distrito a discussão e análise colectivas, envolvendo também os muitos independentes que participaram nas listas da CDU, no sentido de fazer o balanço e perspectivar o trabalho, a DORCB do PCP identificou ainda matérias que exigem intervenção e acção políticas.

Entre elas o problema dos incêndios que se verificaram ao longo dos últimos meses por todo o Distrito, como em Oleiros, Proença, Sertã, Vila Velha de Rodão, Fundão ou Covilhã e que mais do que legislação, exige-se que a existente seja aplicada, onde a necessidade de meios como os sapadores e guardas florestais são prementes, assim como a dotação de meios e equipamentos às diversas corporações de Bombeiros na Região, além de todo o carácter de meios preventivos que urgem ser tratados além da época dos incêndios. Neste âmbito destaca-se a aprovação do Projecto de Lei do PCP que estabelece um conjunto de medidas urgentes de apoio às vítimas dos incêndios florestais de Pedrógão Grande (onde se insere Oleiros e Sertã) e de reforço da prevenção e combate aos incêndios, assim como enfrentar os naturais constrangimentos decorrentes da PAC.

Sinaliza-se ainda as situações inerentes à seca, colocando a necessidade de disponibilizar os meios necessários em matéria de abastecimento, assim como do apoio aos agricultores, que entre outras matérias impõe-se como necessidade comprovada o regadio a sul da Gardunha, questão há muito colocada pelos agricultores e populações e que o PCP acompanha.

Estes como outros investimentos colocam-se com grande actualidade e contribuição necessária para o desenvolvimento do Distrito, a par da produção industrial, extractiva, agrícola e florestal, sua revitalização e modernização.

A DORCB do PCP saúda a luta das populações e dos trabalhadores, contribuição decisiva para o avanço no caminho de recuperação e conquista de direitos atacados no Governo PSD/CDS. Saúda a justa luta dos trabalhadores da Resistrela, assim como dos trabalhadores dos diversos sectores da Administração pública, com particular destaque para a Greve de dia 27 de Outubro e do sector privado com acções marcadas para este mês, assim como apela à participação na manifestação convocada pela CGTP-IN para o próximo dia 18 de Novembro.

 

Intervenção do PCP, sua acção e Reforço

A DORCB do PCP procedeu ainda ao balanço do conjunto de intervenção ao longo dos últimos meses em defesa dos interesses dos trabalhadores e do povo: a iniciativa institucional dos eleitos nas autarquias locais, o balanço da acção legislativa no Distrito; a acção política designadamente as campanhas «Mais direitos, mais futuro, não à precariedade» e «Produção, emprego, soberania, libertar Portugal da submissão ao Euro»; a campanha política de massas que as eleições autárquicas constituíram; a participação da Organização Regional na Festa do Avante! e o êxito que ela constituiu; a concretização de medidas de reforço do Partido – são elementos integrantes de uma vasta acção que colocou enormes exigências à organização e ao trabalho de direcção e a que o Partido respondeu em condições difíceis de permanente silenciamento, desvalorização e intoxicação anticomunista.

Acompanhando a acção geral do Partido e tendo em conta a acção concreta no Distrito a DORCB apontou como principais linhas de trabalho até ao fim do ano de 2017:

- desenvolvimento da Jornada nacional de informação nos dias 26,27 e 28 de Outubro com acções em todo o Distrito;

- desenvolvimento da campanha de valorização do trabalho e dos trabalhadores, pela fixação do Salário Mínimo Nacional em 600 euros em Janeiro de 2018, pelo aumento geral dos salários, pelos direitos dos trabalhadores e de combate à precariedade;

- prosseguimento das acções em torno das comemorações do Centenário da Revolução de Outubro em todo o distrito;

- Desenvolvimento do conjunto de medidas de reforço orgânico do Partido no Distrito.

2018 Organização Regional de Castelo Branco do PCP | www.pcp.pt | Joomla Templates Free.